Blog

PRAIAS POTIGUARES - PRAIA DE JENIPABU

PRAIAS POTIGUARES - PRAIA DE JENIPABU

Categoria: Praias Potiguares

O nome “Jenipabu” provém do do tupi “jenipab-u” (“comer jenipapo”ou “onde se come jenipapo”). Jenipapo é o fruto do jenipapeiro, baga fortemente aromático.
O maior conhecedor da toponímia do Rio Grande do Norte, historiador Luís da Câmara Cascudo escreve com “J” de jenipapo, do tupi “landi-iap” (fruto das extremidades que dá suco).
 
Aspectos: Jenipabu é a praia mais divulgada do Estado, lugar de edição para vários turistas do mundo. Esse paraíso permite a realização dos fantásticos passeios de bugre por dunas moveis (conjunto de vistas semelhante ao Saara), com visita a bela lagoa de Jenipabu, a qual serviu de cenário para a novela Tieta do Agreste. São opções, ainda, os passeios de dromedários e a prática do esqui de areia. A culinária de Jenipabu destaca o peixe cozido e frito, frutos do mar e comidas regional, incluindo beijo e grude.
 
A povoação de Jenipabu, fixada na desembocadura do rio Baquipe (de “baque-pe”, o caminho veloz), nome do antigo rio Ceará-Mirim, ofereceu heróica resistência nos enfrentamentos contra portugueses (1501 – 1535).
No século XVI, Jenipabu foi local de criação de gado, trazido pelos franceses da Normandia. Nesse século, a população indígena, na faixa litorâneas entre o Potengi e o Açu, atingiu aproximadamente 11.200 habitantes.
Os portugueses denominaram “Baia de Domingos Martins”, uma referência ao proprietário de Jenipabu, dono da rede de pesca (1605).
Em 1 de abril de 1988, o empresário francês Patrick Muller inaugurou, no loteamento Jardim Fonte, o “Genipabu Hotel”, marco para a solidificação da atividade turística em Jenipabu.
 
REGISTRO HISTÓRICO: Em 1699, o líder tupi Surupiba (chefe da tribo potiguar fixada em Jenipabu) junto com o seu grupo de índios foram empurrados para o mar, onde morreram afogados, por ocasião ao ataque dos portugueses aos potiguares, sob a ordem do capitão Gartsman.     
  

Comentários